Notícias

Mostra Competitiva

26.08.2019

ANIMAGE anuncia os curtas selecionados para a Mostra Competitiva de sua Décima Edição

O Animage – Festival Internacional de Animação de Pernambuco, que realizará sua décima edição entre 11 e 20 de outubro,  anunciou nesta quinta-feira os filmes curta-metragem selecionados para a sua Mostra Competitiva.

Este ano o festival recebeu mais de 800 inscrições para a Mostra Competitiva, dos quais foram selecionados  77 curtas-metragens de 30 países.

“Chegamos nos dez anos de festival como um dos maiores festivais de animação do país. O número de inscrições, oriundas de todo o mundo, comprova que o Animage já faz parte do circuito dos grandes festivais de animação”, observa Antonio Gutierrez, o idealizador do Animage.

A Mostra Competitiva 2019 do ANIMAGE reúne produções recentes e premia os melhores filmes nas categorias Melhor Curta-Metragem – Grande Prêmio Animage, Melhor Curta Infantil, Melhor Curta Brasileiro e Prêmio do Público. A premiação inclui também melhor Direção, Roteiro, Direção de Arte, Técnica e Som.

A seleção deste ano recebeu curtas nacionais e internacionais, com técnicas de animação variadas, realizados a partir de 2018. A definição dos premiados do festival é feita por um júri especializado, sendo que o público também participa da escolha que define o vencedor na categoria “Premio do Público”.

“A seleção de curtas reafirma que o Animage tem um estilo próprio de programação, muito original, com foco na criatividade, na liberdade, na expressividade autoral e na experimentação técnica. Há filmes que circulam e que foram premiados nos maiores festivais do mundo, e há também muitas surpresas”, observa Júlio Cavani, curador do Animage.

 

Confira a lista completa dos selecionados: 

 

Deepness of The Fry, de August Niclasen (Dinamarca, 2019, 4′)
Give me a French fessée, de Lucas Ansart, Laura Passalacqua, Loïck Piton e Camille Sallan (França, 2018, 2′)
A Double Life, de Studio Job, Joris & Marieke (Países Baixos, 2018, 3′)
Big{foot} Love, de Alessia Cecchet and Joshua Dean Tuthill (Itália, 2019, 1′)
Portrait of Suzanne, de Izabela Plucinska (Alemanha, 2019, 15′)
Yek Digar, de Sarah Tabibzadeh (Irã, 2019, 16′)
Rīgas Ceriņi, de Lizete Upite (França, 2019, 14′)
Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa (Portugal, 2019, 13′)
Udahnut Zivot, de Ivana Bosnjak, Thomas Johnson (Croácia, 2019, 13′)
Bloomers, de Samantha Moore (Reino Unido, 2019, 10′)
Elu24, de Kristjan Holm (Estônia, 2019, 9′)
The Flood Is Coming, de Gabriel Böhmer (Reino Unido, 2018, 9′)
Kingdom, de Wei Keong Tan (Singapura, 2018, 6′)
Story, de Jola Bańkowska (Polônia, 2019, 5′)
Bloto, de Alicja Blaszczynska (Polônia, 2018, 13′)
Poetika Anima, de Kriss Sagan (Eslováquia, 2018, 6′)
Circuit, de Delia Hess (Suíça, 2018, 9′)
Selfies, de Claudius Gentinetta (Suíça, 2018, 4′)
Asilo Esperanza, de José Navarro (Chile, 2019, 5′)
Fuenf, de Peter Kaboth (Alemanha, 2019, 7′)
Almost There, de Nelly Michenaud (Reino Unido, 2019, 9′)
Black Hole, de Rutger Van de Wiel (Netherlands, 2019, 2′)
Stress, de Simon Dauchy, Tom Delforge, Antoine Wilmot, Théo Mechref, Julien Delcroix (França, 2018, 4′)
The Opposites Game, de Anna Samo + Lisa LaBracio (Estados Unidos, 2019, 5′)
Who Are You?, de Julio Pot (Chile, 2018, 14′)
Récit de Soi, de Géraldine Charpentier (Bélgica, 2018, 5′)
Love Me, Fear Me, de Veronica Solomon (Alemanha, 2018, 7′)
Mémorable, de Bruno Collet (França, 2019, 12′)
Toomas Beneath The Valley Of The Wild Wolves, de Chintis Lundgren (Estônia, Croácia e França, 2019, 16′)
Per Tutta La Vita, Roberto Catani (Itália/França, 2018, 5′)
The Juggler, de Skirmanta Jakaité (Lituânia/França, 2018, 11′)
The Ostrich Politic, de Mohammad HouHou (França, 2018, 8′)
Sangro, de Tiago Minamisawa, Bruno H Castro e Guto BR (Brasil, 2019, 8′)
Monsters Walking, de Diego Porral (Espanha, 2018, 2′)
Sono un Poeta, Cara, de Vincenzo Gioanola (Itália, 2019, 5′)
Patchwork, de María Manero Muro (Espanha, 2018, 9′)
Não Moro Mais Aqui, de Laura de Araújo (Brasil, 2019, 10′)
Le Refuge de l’Écureuil Roux, de Chaitane Conversat (França, 2018, 14′)
Purpleboy, de Alexandre Siqueira (Portugal, 2019, 14′)
Wild West Compressed, de Christian Kaufmann (Alemanha, 2019, 3′)
Pulsión, de Pedro Casavecchia (Argentina, 2019, 8′)
O Muro Era Muito Alto, de Marão (Brasil, 2018, 4′)
Grand Bassin, de Héloïse Courtois, Chloé Plat, Victori Jalabert e Adèle Raigneau (Polônia, 2018, 7′)
Live a Little, de Jenny Jokela (Reino Unido, 2018, 4′)
Kiirehessä Liikkumatoin, de Elli Vuorinen (Finlândia, 2018, 7′)
Poética de Barro, de Giuliana Danza (Brasil, 2019, 6′)
Grozna Prikazka, de Radostina Neykova (Búlgaria, 2018, 12′)
King Of The House, de Zige Zhang (China, 2019, 11′)
The Art of Change – Climate Change, de María Álvarez e Elisa Morais  (Reino Unido, 2018, 3′)
This Side, Other Side, de Lida Fazli (Irã, 2019, 9′)
Health Hazard, de Ansh Sirohi (Singapura, 2019, 1′)
Roughhouse, de Jonathan Hodgson (França, 2018, 16′)
Drawing Life, de Luciano Lagares (Brasil, 2019, 13′)
Selvageria, de Guy Chaneaux (Brasil, 2018, 3′)
The Flounder, de Elizabeth Hobbs (Reino Unido, 2019, 7′)
Psyche, de Akimi Miyamoto (Japão, 2019, 4′)
Le Petit Chaperon Rouge, de Jeanne Ruelle (Bélgica, 2018, 5′)
Lost and Found, de Shimon Engel (Israel, 2019, 4′)

MOSTRA INFANTIL

CHILDREN COMPETITIVE SCREENING

Dancing Frog, de Kim Jin-man (Coréia do Sul, 2018, 9′)
Gildo – Boas Maneiras, de Thomate (Brasil, 2019, 3′)
Ode à Infância, de João Monteiro e Luís Vital (Portugal, 2019, 8′)
Le Miroir, de Alban Diedrichs (França, 2018, 4′)
Como Y Porque Se Ha Esfumado Don Jose, de Ben-Avraham (Israel, 2019, 12′)
Gunpowder, de Romane Faure, Nathanael Perron, Léa Detrain, Benoît de Geyer d’Orth, Pei-Hsuan Lin e Anne-Lise Kubiak (França, 2019, 6′)
Poustet Draka, de Martin Smatana (República Checa, 2019, 14′)
Forglemmegei, de Katarina Lundquist (Dinamarca, 2019, 8′)
Et Toc, de Lucas Ansart, Solenn Barbier, Julie Paturange, Clothilde Hiron, Laura Passlacqua e Miriam Lazrak (França, 2018, 2′)
Beebox, de Cable Hardin (Estados Unidos, 2018, 3′)
Hornzz, de Lena Franzz (Brasil, 2019, 5′)
Mogu&Perol, de Tsuneo Goda (Japão, 2018, 9′)
Fruits Vegetablen, de Norihiko Ito (Japão, 2019, 7′)
A Corda, Acorda, de Ana Luiza Primo, Clara Barros e Julia Nicolescu (Brasil, 2018, 1′)
Shy & Ketchup, de Teresa Romo (Chile, 2018, 4′)
KOYAA – Izmuzljivi papir, de Kolja Saksida (Eslovênia, 2019, 3′)
KOYAA – Spolzko milo, de Kolja Saksida (Eslovênia, 2019, 3′)
Cat Lake City, de Antje Heyn (Alemanha, 2019, 7′)
A Primeira Sanfonia, de Deco Santana (Brasil, 2019, 4′)